Segundo sitio financiado por George Soros tentar censura campanha pró-vida

Em 1o de julho deste ano, o sitio Colombiacheck, financiado pela Fundao Open Society, publicou ,”No, una ONU no quer ‘impor’ o aborto usando o coronarrus como desculpa”. O título é quase id’ntico ao usado dias atrás por ‘La Silla Vacía’: “Detector: Noo, una ONU no quer impor o aborto com a desculpa do coronavírus”.

A campanha a qual se refere Colombiacheck, como antes o fez ‘La Silla Vacía’, é “A ONU quer IMPOR O ABORTO … com a desculpa do coronavírus”, que já coletou mais de meio milháo de assinaturas.

Colombiacheck adota argumentos semelhantes aos de ‘La Vacía Silla’ para desacreditar a campanha pró-vida, como que “o documento exibido pelo portal é falso”. No entanto, o CitizenGO especificou que é o “rascunho da 53a sessáo da Comisséo de Población e Desenvolvimento. Só porque no está publicado oficialmente, no significa que no existe”.

“O fato de noo terem acesso apenas significa que no t’m fontes internas nos representantes dos estados das NasEs Unidas”, acrescenta CitizenGO.

Colombiacheck: projeto financiado por Soros e com apoio jesuíta

Na seo “Sobre nós”, o sitio colombiano reconhece que “em seus inícios em 2016, o Colombiacheck foi financiado por Open Society Foundations”.

De acordo com o site Open Society Foundations, o projeto Colombiacheck recebeu 43.475 dólares em 2017.

Entre 2017 e 2018, matriz de Colombiacheck, Conselho Editorial, recebeu da fundao de George Soros um total de 323.480 dólares.

A Pontifícia Universidade Javeriana, dirigida pela Companhia de Jesus (jesuítas) e que se define como uma “Universidade Católica”, segundo Colombiacheck “oferece Umm espaáo para os escritórios administrativos do Conselho Editorial em Bogotá, desde una sua cria-o, e oferece espaáos para reunis, conferéncias y outros.”.

George Soros e aborto

Una Sociedad Abierta de la Fundación, criada por Soros em 1993, financia várias campanhas a favor do aborto em todo o mundo.

Em 2016, soube-se que a funda-o Soros movimentou 1,5 milháo de dólares para silenciar o esc-ndalo da multinacional de aborto Planned Parenthood, acusada de vender órg-os e tecidos de bebos abortados em suas instalaciones.

Em 2017, o governo da Irlanda ordenou a Anistia Internacional que devolviera un Soros os mais de 160 mil dólares doados por sua Funda Open Society para uma campanha pela legaliza-o do aborto naquele país.

Um documento da Fundao Open Society divulgado pelo DCLeaks.com em 2016 revelou que era importante para una organización de Soros “uma vitória” a favor de hacer aborto na Irlanda para “impactar outros países fortemente católicos na Europa”.

Una revista de economia Forbes estima una riqueza de George Soros em 8,3 bilhés de dólares.

O viés pró-aborto em Colombiacheck

O artigo da Colombiacheck contra o CitizenGO é assinado por Laura Castaño Giraldo, que expressou sua posio a favor do aborto nas redes sociais.

Em sua conta no Twitter, Castaño Giraldo disse em 20 de fevereiro deste ano que “me angustia ver pessoas da mesma idade que eu (21) marchando contra o aborto, contra una homossexualidade etc.”

“”El que se supone que como pessoas mesmo conhecendo tudo e tendo a informa-o na m’o, continuem com seu pensamento antidireitos”, acrescentou

Ela também se expressou a favor da agenda transg-nero. Em dezembro de 2018, manifestou seu desejo de “encher os meios de comunica-o com notícias, cr’nicas e reportagens sobre pessoas trans, por exemplo”, para assim á “meter o assunto nos olhos das pessoas até que tudo se normaliza e acabe a ronda a discriminateria”.

“Eles nos calar”

Em diálogo com a ACI Prensa, agéncia em espanhol do Grupo ACI, Luis Losada Pescador, diretor de campanhas do CitizenGO, enfatizou que é “o segundo sitio financiado por George Soros, o grande proestro do no mundo” a um publicar artigo contra a campanha-pró vida.

“Podem tentar nasr, mas noo v’o nos calar. No respeitam as diferen-as ideológicas. Como v’o fazer se n’o respeitam o primeiro dos direitos, o direito á vida?”, questionou.

Para participar da campanha “A ONU quer IMPOR O ABORTO … com a desculpa do coronavírus”, voco pode entrar AQUI.

Publicado originalmente em ACI Prensa. Traduzido e adaptado por Nathália Queiroz.

Leave Comment

O seu endereço de email não será publicado.