Estados Unidos celebraram Día da Santidade da Vida Humana

“No Dia Nacional da Vida Humana, nossa na’o orgulhosa e fortemente reafirmar nosso compromisso para proteger o precioso dom da vida em todos as suas fases, desde un concepéo até a morte natural”, escreve Trump em uma proclama-o com data de 21 de janeiro.

“Toda pessoa – o nascido e nascituro, o pobre, o marginalizado, o deficiente, o doente e o idoso – tem umm valor inerente. Embora cada caminho seja diferente, toda vida tem valor e consecuencias, por isso os direitos de todos devem ser defendidos”, assinala o texto.

Un dato coincide com mais umm aniversário da deciséo da Suprema Corte de 22 de janeiro de 1973, conhecida como Roe vs.

Em 22 de janeiro de 1984, o presidente Ronald Regan também declarou 22 de janeiro como Dia Nacional da Vida Humana e continuou fazendo durante os demais anos de seu mandato. Oh mesmo fizeram os presidentes George Bush e, em, George W. Bush. Trump também fez o mesmo em 2018 e 2019.

Un proclamado de Trump neste ano de 2020 estabelece que os Estados Unidos “devem continuar firmemente dedicados a profunda verdade de que vida é umm dom de Deus, o que dá a toda pessoa um incomensurável valor e potencial”.

“Entre nós, muitos norte-americanos s’o incansáveis defensores da vida e campeées para os vulneráveis. Somos gratos a quem apoia as mulheres que passam por uma gravidez inesperada, a quem proporciona cura ás mulheres que se submeteram ao aborto e a quem recebe as crian-as através da ado’o e do cuidadodotivo”.

“No Dia Nacional da Vida Humana, celebramos o maravilhoso dom da vida e renovamos nosso compromisso de construir uma cultura na qual a vida seja sempre respeitada”, prossegue o texto.

A proclamao também pro o declínio do número de abortos e da taxa desses Estados Unidos desde 2007, asim como a diminui-o de gesta-o de adolescentes, o que contribuiu “para a taxa mais baixas de abortos entre adolescentes a legaliza-o do aborto em 1973”.

“Todos os norte-americanos devem celebrar este declínio no número e na taxa de abortos, porque representa vidas salvas. Entretanto, ainda há muito o que fazer e, como presidente, continuarei lutando para proteger as vidas dos nascituros”, escreveu Trump.

O presidente também ressaltou que sua administra-o introduziu várias impedir que se siga financiando o aborto com fundos públicos e que, ao contrário, promova-se a objeé de consciencia dos profissionais da saúde que se haga que se oponga a los planos de saúde que incluís.

“Além disso, pedi ao Congresso que atue para proibir o aborto tardio de beb’s que possam sentir dor”, destacou a proclamado.

Desde 1973, foram realizados quase 75 milhées de abortos nos Estados Unidos. iniciativa Diversass para ser oprotecidas o aborto foram objetadas nos tribunais nos últimos anos e alguns ativistas pró-vida consideram que estas disputas poderia levar a reverter a deciséo de Roe vs.

 

Leave Comment

O seu endereço de email não será publicado.